O CBTIJ foi criado no dia 08 de dezembro e registrado no dia 15 de dezembro 1995. Em janeiro de 1996 foi eleita sua primeira diretoria para o Biênio de 1996 / 1997.

Presidência
Alice Koënow

Secretaria
Silvia Aderne

Tesouraria
Ricardo Schöpke (1996/97)
Beatriz Gemal (1997/98)

Conselho de Administração
Antonio Carlos Bernardes
João Batista
Marcia Frederico

Conselho Fiscal
Fátima Café
José Carlos Vedova
Miriam Brum
Sonia Piccinin

Conselho Consultivo
Ana Maria Machado
Bianca de Felipes
Cláudio Vasconcelos
Eliana Yunes
Eva Doris Rosental
Humberto Braga
Marcia Leite
Maria Clara Machado

Barra

Relatório de Atividades da Gestão 1996 / 1997:

Ações realizadas em 1996

Discussão de uma política digna de financiamento para o teatro, junto à Caixa Econômica Federal – MINC. Quais os critérios estipulados pela Comissão de Avaliação, no percentual oferecido aos espetáculos feitos para crianças e adolescentes?

Contato com o Centro Cultural Banco do Brasil que nos cedeu uma sala para reuniões mensais, que ocorrem desde maio.

Entrada imediata de um representante da área de teatro infantil e adolescente para compor a comissão de criação da Lei do Teatro Brasileiro, junto à FUNARTE – MINC.

Elaboração de uma campanha nacional “Um novo olhar para o Teatro Infantil”, que tem como objetivo mostrar a qualidade do teatro para crianças e adolescentes. Contatos realizados com o Sr. Sérgio Sanz da Funarte, idealizador da Campanha “Receba o Circo de Braços Abertos”.

Discussão para implantação de uma política cultural que inclua a criança, através do teatro e seus profissionais, no fazer cultural da cidade do Rio de Janeiro, com a entrega de um documento aos candidatos à Prefeitura, na intenção de contribuir para uma política cultural eficaz, também voltada para o desenvolvimento do teatro para crianças e adolescentes no Rio.

Estudo para a estruturação a nível nacional do CBTIJ.

Espaço para sede. Negociações com a Funarte para obtenção de uma sala para o CBTIJ.

Gestão junto a Secretaria de Cultura do Município, Sra. Helena Severo no sentido de igualar os cachês dos espetáculos infantis aos adultos e solicitação para a entrada da categoria infantil no Prêmio Rio-Teatro.

Ações realizadas em 1997

Primeira reunião do Conselho Consultivo, que discutiu apoios para a Campanha Nacional. Foi importante a presença do representante do Centro Cultural Banco do Brasil, que ficou de estudar formas de apoio para a realização da campanha.

Assinamos em março com a Funarte, contrato de cessão da Sala Santa Rosa na sobreloja do Teatro Cacilda Becker, para sede do CBTIJ, sendo necessária reforma em virtude de infiltrações, pintura, etc. A ideia de ocupação é destinar uma das salas para escritório e reuniões, outra para cursos e ensaios de nossos associados e formar uma biblioteca de textos

Estudos de viabilização de um jornal, que além de servir de veículo de informação no Brasil e no exterior, servirá para discutirmos linguagens e caminhos de desenvolvimento do teatro para a infância e juventude.

Reportagem de página inteira no jornal O Estado de São Paulo, nota na Revista alemã “Vamos”.

Aprovação do Regime Interno.

Com o apoio da FUNARTE, confecção de dois folders bilíngues (inglês/português e francês/espanhol) para distribuição entre os associados e nas participações de festivais nacionais e internacionais.

Contatos Nacionais: a) Desde o ano passado estamos entrando em contato com pessoas de alguns estados que desejam iniciar esse movimento e futuramente instalar sede do CBTIJ em seus estados/ municípios. b) Participamos em julho do Festival Nacional de Teatro de São José do Rio Preto. c) Em agosto do 1° Festival Nacional de Teatro Infantil de Blumenau. Em ambas as cidades foram realizadas reuniões e foram montados stands com material informativo. Em Blumenau, também participamos durante o Festival de um Painel sobre a situação do teatro infantil no Brasil. Foram distribuídos folders e realizados contatos com Grupos e profissionais de vários estados, sendo que em Santa Catarina e em Minas Gerais a implantação do CBTIJ, já está sendo estudada.

Contatos Internacionais: a) No sentido de viabilizar intercâmbios do teatro para a infância e juventude brasileiros com outros países, iniciamos contatos através da ASSITEJ – Associação Internacional de Teatro para a Infância e Juventude. b) Pagamos taxa de afiliação. c) Enviamos vinte e uma cartas para os festivais franceses. Recebemos a listagem de setenta e quatro festivais realizados em todo mundo. d) Estivemos presentes, como único país da América Latina, no “27th Festival Theatre for Children and Young People”, realizado na Dinamarca, resultando em ótimos contatos, tanto no Festival, como na Alemanha para futuros intercâmbios. e) Também estivemos presentes também na Biennale Theâtre Jeunes Publics realizado em junho em Lyon, França. Em ambos festivais foram realizados contatos, tendo em vista um futuro intercâmbio de espetáculos. f) Elaboração de artigos para o Anuário Internacional de Teatro para a Infância e Juventude da Assitej. g) Contatos para vinda de Volker Quandt (ASSITEJ Alemanha) ao Brasil para direção de espetáculo do Grupo Hombu.

Campanha: a) Modificação do tema da campanha iniciada no ano anterior para “50 Anos de Teatro para a Infância e Juventude do Brasil – 1948/1998”. b) Elaboração da campanha enviada ao FNC – Fundo Nacional de Cultura, tendo como base um cartaz comemorativo, revista e cartões telefônicos com fotos e cartazes de espetáculos. c) Contatos com Elifas Adreatto para idealização e realização da arte final do cartaz. d) Contatos com grupos e colaboradores de vários estados brasileiros para elaboração da revista. e) Contato com a TELERJ para a confecção de um milhão de cartões telefônicos.